Alt+Shift+c Ir para o conteúdoAlt+Shift+m Ir para o menuAlt+Shift+b Ir para a buscaAlt+Shift+f Ir para o roda-pé

Apoio ao turista

Muribeca dos Guararapes

Endereço:

Muribeca Rua

O traçado urbano é adequado a topografia acidentada. O povoado desenvolveu-se disposto no eixo formado pela rua matriz, tendo em suas extremidades as duas igrejas de Nossa Senhora do Rosário e Rosário dos Pretos.

Situado numa colina, na margem direita do Rio Jaboatão, singelo povoado de Muribeca dos Guararapes, foi o centro mais importante de Jaboatão. O seu povoamento teve início na 2ª metade do século XVI, com os Engenho Santo André e Novo da Muribeca, ali levantados por Arnau de Holanda, em terras da sesmaria a ele concedida pelo donatário Duarte C. de Albuquerque. Ainda, no final do século XVI, foi construída, na freguesia, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário. O povoado sofreu vários ataques dos invasores holandeses. Em 1635, por ocasião de uma dessas investidas, teve sua Igreja Matriz transformada em fortificação. Por essa época contava com 8 engenhos de açúcar. Em 1774, existiam três igrejas na povoação: a de São Gonçalo, Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário e a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos. Sob a jurisdição de Olinda foi elevada à categoria de Vila, em 1884 e posteriormente, à categoria de comarca. Nesse momento o povoado se destacou pelo seu desenvolvimento embasado na economia açucareira. No final do século XIX, o povoado atravessa um processo de esvasiamento e decorrente declínio dos engenho perante as usinas emergentes que dominavam os processos de produção. Hoje é um pequeno povoado estagnado economicamente, contando aproximadamente com 200 casas modestas. O traçado urbano é adequado a topografia acidentada. O povoado desenvolveu-se disposto no eixo formado pela rua matriz, tendo em suas extremidades as duas igrejas de Nossa Senhora do Rosário e Rosário dos Pretos. A tipologia dos edifícios é formada por pequenas casas, observando-se 2 modelos, 1º por edificios em taipa como características do início do século XIX e o 2º do final do século XIX composto por edifícios de alvenaria de tijolos. No conjunto encontram-se ainda, as ruínas da Igreja de São Gonçalo.